Quinta, 13 de Maio de 2021 02:59
75 9 9173-8131
Creative Projects
Polícia

Por que o Nordeste registra a menor taxa de mortalidade pela covid em 2021

20/04/2021 14h27
756
Por: Allan Matos Fonte: UOL

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

 

Imagem: Biné Morais/Agência São Luís

 

 

Em 2020, quando a pandemia começou a se alastrar no país, o Nordeste lançou um comitê científico para ajudar os governos a tomarem medidas de prevenção contra a covid-19. Lançaram campanhas em massa alertando sobre a necessidade de distanciamento, uso de máscara e álcool em gel. A região também foi a primeira a ter uma metrópole a realizar um lockdown —no caso, São Luís. Com medidas mais rígidas e uma comunicação mais forte do que em outras regiões, o Nordeste registra hoje a menor taxa de mortalidade pela covid-19. Em 2021, por exemplo, essa taxa está em 49 por 100 mil habitantes, 37% menor do que a média nacional no mesmo período, que chega a 78 por 100 mil habitantes. No Sul, líder no índice, o número chega a 109 por 100 mil. "O Nordeste hoje é quem puxa hoje a mortalidade do Brasil para baixo", diz André Longo, secretário de Saúde de Pernambuco e vice-presidente do Nordeste do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde)

A taxa de mortalidade do Nordeste na pandemia era de 134 por 100 mil na última quinta-feira (15). Os três estados com menores taxas de mortalidade na data eram do Nordeste: Maranhão (95 para cada 100 mil), Bahia (114) e Alagoas (117). A média nacional na data ficava em 174 para cada 100 mil pessoas. Desde o início da pandemia, segundo os números oficiais do Ministério da Saúde, a região registrou até a quinta-feira 76 mil dos 365 mil óbitos —o equivalente a 21%

Longo afirma que o resultado se deve, em partes, porque a região se articulou desde o início e ouviu mais a ciência. Mas ele reconhece que, mesmo com uma situação melhor que outras regiões, o cenário é crítico no Nordeste. 

A gente não comemora esses números. Mas precisamos reconhecer o esforço dos profissionais de saúde e dos governadores, que tiveram coragem de adotar medidas restritivas --que nem sempre têm uma repercussão positiva na população, mas precisavam ser adotadas. Além disso, ampliamos muito a capacidade hospitalar. Só aqui foram 540 leitos de UTI em 40 dias. André Longo, secretário de Saúde de Pernambuco e vice-presidente do Nordeste do Conass Quatro dos nove estados têm mais de 90% de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva)

Para a infectologista Ana Brito, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) de Pernambuco, ainda é cedo para ter certeza de que os números se manterão tão abaixo da média nacional por conta do incerto pico da segunda onda da pandemia. "Olhando para Manaus, a gente vê que teve um período de 45 dias até a explosão da epidemia. Mas pode ser que a gente já esteja entrando nesse tempo, mas é uma especulação. É preciso aguardar mais."

"Indiscutivelmente as medidas de restrição de circulação da população causam uma diminuição dos casos. O problema do Brasil é que a gente não fez medida restritiva de forma rigorosa. A gente aqui fez medidas parciais, mas, mesmo parciais, há uma resposta, embora mais tímida", completa.

    * O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
    Canudos - BA
    Atualizado às 02h48 - Fonte: Climatempo
    20°
    Pancada de chuva

    Mín. 18° Máx. 30°

    20° Sensação
    14.1 km/h Vento
    89.6% Umidade do ar
    90% (7mm) Chance de chuva
    Amanhã (14/05)
    Madrugada
    Manhã
    Tarde
    Noite

    Mín. 19° Máx. 29°

    Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
    Sábado (15/05)
    Madrugada
    Manhã
    Tarde
    Noite

    Mín. 19° Máx. 28°

    Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
    Ele1 - Criar site de notícias