Domingo, 28 de Novembro de 2021 18:06
75 9 9173-8131
Polícia

Sobradinho, Sento-Sé e Uauá estão sem delegados titulares e população cobra nomeações; Polícia Civil se manifesta

20/10/2021 10h33
426
Por: Redação Fonte: pretonobranco.com

Em matéria publicada nesta segunda-feira (18), moradores de Sobradinho, assustados com uma onda de assaltos que vem acontecendo na cidade, nos últimos dias, relataram que o município está há mais de 2 anos sem um delegado titular.

Eles atribuem a onda crescente de violência, entre outros fatores, a falta do profissional. Com a morte repentina, no  dia 1º maio de 2019, do Delegado Raniere, que atuava como titular no município, não houve nenhuma nomeação.

“A cidade está bastante assustada com estes últimos acontecimentos. Vivemos um momento de muita insegurança e temor. Questionamos o motivo de não ter um delegado titular no município, deste 2019, quando o delegado Dr. Raniere foi vítima de um infarto fulminante. Tem uma delegada substituta, a Dra Lígia, que também é coordenadora da Polícia Civil na região, e que vem apenas uma vez na semana, o que não é suficiente. A Secretaria de Segurança Pública deve adotar providências urgentes neste sentido, pois segurança pública é um direto do cidadão. E a presença e atuação de um delegado na cidade faz toda diferença”, disse o morador.

A Delegada Lígia Nunes, coordenadora da 17a Coorpin, está atuando também como substituta, em Sobradinho, desde setembro de 2020.

O PNB apurou que, a situação de Sobradinho é a mesma dos município de Sento-Sé e de Uauá, que também fazem parte da 17a Coorpin, com sede em Juazeiro, e estão sem delegados.

O ex-delegado de Sento Sé deixou o cargo há cerca de um ano, após passar em outro concurso público.

“Sem delegado, se a PM faz um flagrante nestas cidades, a viatura tem que se deslocar para outro município para lavrar o flagrante com a autoridade da Polícia Judiciária. Isso gera o desgaste dos policiais, gera custo com a viagem e compromete o serviço prestado à população”, explicou uma fonte ao PNB.

Os municípios sem os titulares, ficam dependendo da presença de um delegado substituto, que tendo outras atribuições, atendem nas cidades apenas em alguns dias da semana.

“Além da sobrecarga para os delegados, esta situação gera uma precarização no atendimento à segurança publica nas delegacias, com prejuízos para a celeridade dos inquéritos”, avaliou a fonte.

A assessoria da Polícia Civil, procurada pelo Portal Preto No Branco, disse que “o processo para designação dos titulares para os três municípios já está em andamento”.

“As três unidades contam com delegados substitutos, enquanto ainda não foram designados os titulares. O processo para designação já está em andamento. Além dos substitutos, as unidades também têm o apoio da 17a Coorpin, com sede em Juazeiro” (Ascom PC)

Da Redação

 

    * O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
    Ele1 - Criar site de notícias